Que louco dizer que f0i a primeira vez que coloquei um vestido justo na vida! Mais louco ainda é me dar conta de que eu vinha recusando todas as oportunidades durante anos por pensar que meu corpo não se encaixaria nesse tipo de roupa. E daí que marcou a minha barriga? E daí que ele me deixa reta, sem cintura? Todo o medo de parecer isso ou aquilo foi derrotado quando parei para me olhar no espelho e vi que não havia mal nenhum em um vestido justo no meu corpo. A autoestima é um pedaço da gente que não deve ser deixado de lado e precisa ser estimulado todos os dias, amigas, nunca se esqueçam disso.
O vestido é da Mercatto e, pra quem ainda não viu, fiz uma resenha da nova coleção plus size, aqui. Ele é feito de uma malha encorpada, que deixa o corpo firme e esquenta um pouco também. Então, acho que não rola usá-lo em dias muito quentes. Uma coisa que adorei nele foi o comprimento midi e as mais baixinhas não precisam se preocupar porque ele não afunila nas coxas e tem fendas laterais, permitindo que a perna fique mais a mostra. Nesse dia, usei vestido com tênis por causa do conforto e também para quebrar a sensualidade do combo justo+fenda, mas acho que esse vestido tem potencial para ser usado com salto e acessórios para sair a noite. Tenho que contar pra vocês que sou a mais nova fã de colete longo e já quero todos os modelos que existem no mundo! rs Esse é de tricô e também é da Mercatto. 

A bolsa é de uma marca maravilhosa, chamada Barauma. Uma empresa brasileira de acessórios veganos, ou seja, que utiliza somente matéria prima livre de exploração animal e de baixo impacto ambiental em sua fabricação. Além de lindas e com estampas exclusivas, as bolsas são a confirmação de que é possível ser um consumidor consciente e estar na moda sem que os animais estejam envolvidos em processos que fazem uso de crueldade. 

Conta pra mim, aqui nos comentários, se existe alguma peça de roupa que você não usava antes e agora usa. Não esquece de curtir pra eu saber se vocês gostaram desse post e compartilha com as amigas!